Colorimetria Capilar

Quando se trata de cabelos, os profissionais estão sempre buscando e se aperfeiçoando em técnicas.

A Colorimetria Capilar surgiu justamente para ajudar a tirar o melhor da cor do seu cabelo.

Muita gente ainda desconhece e pensa que a colorimetria é um bicho de sete cabeças.

Mas hoje eu vou provar para vocês que, não é, não. Ela mais rosna do que morde hehe.

Antes de alguma técnica ser usada no salão, é preciso muita pesquisa.

A coloração, então, envolve muita pesquisa e conceitos.

Ela é um dos procedimentos mais procurados nos salões de beleza.

O que pode parecer simples é mais complexo do que podemos imaginar. Apesar de não tão difícil.

Os profissionais da área precisam estar sempre ligados nas tendências e nos conceitos de Colorimetria.

Quer entender um pouco mais de como funciona essa jogada de cores dos cabelos?

Então vem comigo!

O que é colorimetria capilar?

A colorimetria é uma ciência para determinar cores a partir da avaliação de matiz, intensidade e saturação.

Para usá-la, é necessário ter um conhecimento mais aprofundado sobre as cores.

E, principalmente, da forma como elas se comportam quando misturadas umas com as outras.

Quando essa ciência é usada nos cabelos, chamamos o processo de Colorimetria Capilar.

A colorimetria capilar é usada nos salões para três fins:
  • A identificação de cores naturais.
  • Combinar adequadamente tons e contrastes.
  • Fazer processos de neutralização.

A colorimetria capilar é muito importante para quem gosta de estar sempre mudando a cor dos fios.

Na hora de colorir, o tom que vai ser aplicado será baseado no já existente no seu cabelo.

Sendo ele natural ou já colorido.

A colorimetria é essencial para você saber como mudar o tom dos fios apenas misturando cores.

Já pensou, não precisar jogar fora aquele restinho de tinta e ainda mudar o visual?!

Ela também é importante para situações em que acontece algo errado.

Quem nunca foi pintar o cabelo e a tonalidade deu errado?!

A algum tempo atrás, inclusive, isso aconteceu comigo.

Resolvi tentar trazer as californianas de volta para o meu cabelo usando uma tintura, em vez de descolorir.

Digamos que o meu cabelo tenha ficado um pouco verde.

Ainda bem que de vez em quando acontece um acaso ou outro que a gente até gosta.

Sorte a minha que, no fim, até gostei do meu cabelinho com uma espécie de mechas hulk.

Mas é assim: se você gosta do diferente, GOSTA. Mas se você odeia, então você ODEIA.

Só quem já passou sabe como é triste ficar com o cabelo alaranjado, ou então esverdeado, sem querer.

Com o conhecimento da colorimetria, isso não vai acontecer. Sem desespero ou bad days com o cabelo.

entendendo as cores do colorimetria capilar

Saber desvendar as cores da colorimetria capilar pode ser útil para muitos casos.

Conseguir cabelos mais bonitos, menor chance de errar, economia de produto e uma infinidade de coisas.

 

Mas antes de você começar o passo a passo da colorimetria capilar, precisa entender algumas coisas.

É necessário, antes de tudo, entender a classificação das cores, tons e reflexos.

É esse processo que irá te guiar até o entendimento da nem tão complexa colorimetria.

Cores primárias

São as cores que podemos chamar de cores base.

A partir delas, é que se dá a criação das demais tonalidades.

As cores primárias são azul, vermelho e amarelo.

A  mistura com essas três cores acabará por resultar na cor marrom.

Cores secundárias

Também conhecidas como complementares,surgem a partir de três combinações com as cores primárias.

São representadas pelo verde, alaranjado e roxo.

Verde é a junção de azul com amarelo.

Alaranjado é a junção de vermelho com amarelo.

E o roxo é a junção de azul com vermelho.

cores terciárias

As cores terciárias são todas aquelas obtidas a partir da mistura de cores primárias ou secundárias.

Não tem como definir combinações exatas, pois tem diversas possibilidades.

Podem ser usadas para criar tonalidades mais claras, como o rosa-claro, mistura de vermelho e branco.

cores frias

São as cores que surgem dos tons de verde, azul, roxo, violeta e cinza.

Elas podem ser representadas pelo gelo, água, lua.

Apresentam menor luminosidade, trazendo uma sensação mais fria e distante.

cores quentes

As cores quentes nascem de tons de vermelho, rosa, amarelo, alaranjado, acobreado e dourado.

Essas tonalidades trazem uma sensação mais viva ao visual, de movimento e vivacidade.

Cores neutras

As cores neutras resultam da mistura entre cores frias e quentes.

São cores que possuem menos reflexão da luz como o cinza e o marrom.

Normalmente elas servem como base para recebimento de outras cores por cima.

Altura de tom

A altura de tom se refere ao tom alcançado com a Colorimetria Capilar.

Para identificá-la, existe uma tabela universal para definir suas cores. Tanto naturais quanto químicas.

Ela possui 9 tons, ao todo. Sendo 1 o mais escuro e 9 o mais claro.

Altura de tom 1: preto

Altura de tom 2: preto escuro

Altura de tom 3: cor castanho escuro

Altura de tom 4: cor castanho médio

Altura de tom 5: cor castanho claro

Altura de tom 6: cor louro escuro

Altura de tom 7: cor louro médio

Altura de tom 8: cor louro claro

Altura de tom 9: cor louro claríssimo

Como na imagem abaixo, nas embalagens de tinta a altura do tom é representada pelo número.

Algumas marcas possuem 12 tons, sendo o 10, 11 e 12 os níveis de louro ainda mais claros.

 

Cores reflexo (nuances)

Se você reparar, na embalagem de tinta quase sempre possui um número após o pontinho.

Esse segundo número será a cor reflexo da tintura.

Assim como a altura de tom, as nuances também possuem uma tabela especial.

Numeração 1: cor reflexo cinza

Numeração 2: cor reflexo irisado

Numeração 3: cor reflexo dourado

Numeração 4: cor reflexo acobreado

Numeração 5: cor reflexo acaju

Numeração 6: cor reflexo vermelho

Numeração 7: cor reflexo esverdeado

Então, se a coloração for 7.3 a cor será louro médio com reflexo dourado.

Caso a embalagem de tinta possua dois números depois do ponto, ela terá duas nuances.

Mas a que mais irá se destacar será a primeira após o ponto, sendo a segunda então uma leve nuance.

Volumagem

É muito comum mulheres que possuem o cabelo escuro quererem mudar para algum tom mais claro.

Mas clarear um cabelo muito escuro pode ser uma tarefa bem difícil.

Descolorir o cabelo pode gerar grandes quebras e danos aos fios mas, pode ser a única alternativa.

O processo de descolorir o cabelo acontece graças a mistura entre descolorante e água oxigenada.

A água oxigenada é dividida em 4 volumes, sendo cada um ideal para um tipo de processo.

Água oxigenada 10 volumes: é para cabelos que não necessitam de muita tinta.

Ideal para a aplicação de tonalizante.

Água oxigenada 20 volumes: clareia até um tom, deixando um pouco do tom natural ainda.

Água oxigenada 30 volumes: clareia de 2 a 3 tons. Ideal para cabelos fáceis de clarear.

Água oxigenada 40 volumes: garante o clareamento de 4 a 5 tons.

Usado em cabelos com difícil clareamento.

Passo a passo Colorimetria Capilar

O estudo da colorimetria é dividido em quatro passos.

Desde como usar até a compreensão e proporção das cores de forma correta.

Passo 1: Estrela de Oswald

A estrela de Oswald é a mais utilizada pelos profissionais de cabelo.

Nelas, as cores primárias, secundárias e terciárias estão de uma forma que explique sua relação.

Quando uma cor está na direção oposta da outra, quer dizer que elas se anulam.

Por exemplo, se o seu cabelo está amarelo e você aplicar uma tintura roxa, o tom ficará neutro.

Não mais um amarelo, mas sim um loiro mais acinzentado e apagado.

Fundo de clareamento

O fundo de clareamento é representado por uma paleta de cores.

Nela, está os possíveis tons que o seu cabelo pode ficar durante o clareamento.

Para que possa aproveita-lo, é necessário saber sobre a pigmentação natural dos fios.

Essa pigmentação natural pode variar tanto pela genética quanto pelos seus cuidados.

Então, é algo que varia muito.

Existem dois tipos de pigmentação, e a quantidade de cada  uma irá definir a cor de base final.

Eumelanina

Para cabelos que vão do preto ao vermelho escuro.

Por serem cores fortes e vivas, são mais difíceis de serem cobertas por outra.

Mas durante o processo de clareamento, sua retirada se torna mais fácil.

Feomelanina

Se encontra presente em cabelos mais claros, como o vermelho chama e o amarelo.

São mais fáceis de serem cobertas por outras tintas, sem muito segredo.

Mas na hora de descolorir, seu processo pode ser mais demorado que os de cor escura.

Avaliação e conclusão

Depois de identificado o fundo de clareamento do seu cabelo e o que você deseja, que começa o trabalho.

Depois de descoberta a cor que você deseja atingir durante a descoloração, é preciso examinar seus fios.

Expor cabelos mais frágeis aos mesmos tratamentos de cabelos mais fortes é algo fora de cogitação.

Cada cabelo possui um tipo único de cabelo, e precisa de cuidados únicos.

É trabalho do profissional avaliar o tipo de dano que pode ser causado no cabelo da cliente.

Assim, em acompanhamento com o profissional, ele mostrará novas formas de chegar ao tom desejado.

A colorimetria pode ser muito útil em suas misturas na maioria desses casos.

Matemática da colorimetria

Essa é a etapa onde o uso da colorimetria realmente irá começar.

Essa é a parte onde o profissional vai escolher a tintura ideal para atender a tonalidade desejada.

A partir de dois tons – o existente e o desejado – ele saberá a mistura ideal para neutralizar os fios.

Só depois da técnica da estrela de Oswald que o cabeleireiro poderá enfim aplicar a tinta final.

Calculando os tons de base

É de extrema necessidade que a pessoa que irá cuidar do seu cabelo saiba calcular o tom de base.

Em alguns casos, para atingir uma tonalidade, uma mistura apenas não basta.

Aplicar diferentes cores para chegar a um resultado é algo comum no mundo dos salões.

A forma mais fácil e usada é a soma de duas cores de base para se obter uma.

Como o caso de 8+4 = 12/2 = 6.

O número final se encaixa com o loiro escuro conhecido como 6.0.

Para definir o tom de reflexo pode ser usado cores cinza, dourado,mate, cobre, dependendo da cliente.

E não se esqueça que misturar em quantidades iguais é algo muito importante.

Se uma quantidade ficar maior, ela se destacará mais e o resultado não será como o esperado.

Bom, por hoje é isso, gurias!

Espero que vocês tenham conseguido entender um pouquinho mais sobre a mudança dos fios.

Se você curtiu, ou tem alguma dúvida, deixa seus comentários aqui!

Beijinhos, Fabi.

One thought on “Colorimetria Capilar

  1. Clarissa Borges Rocha Pereira Reply

    estou com um pouco de luzes e meu cabelo e castangho claro e quero pintar meu cabelo cor cobre dourado, não quero ruivo
    como ficaria meu cabelo?
    tenho dúvidas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *